Erro 404 - Não foi possível encontrar
Me desculpa, mas a página que você estava procurando não existe.
Você pode ir para a página inicial.

MEUS ÚLTIMOS POSTS

1 68

Oi pessoal, tudo bom?

Hoje participei de um café da manhã super especial para ser apresentada aos novos sucos da SuFresh. O evento aconteceu numa padaria super gostosa em São Paulo, a Le Pain Quotidien. E dessa vez, é suco mesmo, não néctar, pois contém 100% de fruta. (o néctar geralmente tem só 30% de polpa. Não é a melhor opção nem de longe!). Claro, o suco é natural mas tem o açúcar da fruta ainda. Então o consumo deve ser moderado, igual qualquer outro suco de caixinha.

camilla-pires-sufreshlevando meu kit com os sucos, pãezinhos e geléia

Mas ele é bom pois não tem conservantes, não tem mais açúcar que o indicado, e particularmente achei que não tem aquele gosto artificial, sabe? O de uva me lembrou muito aqueles sucos integrais que vem em vidro, mas mais diluído…não tão concentrado.

Eu particularmente gostei muito, acho que é uma ótima opção de pós-treino ou lanche da tarde, pois tem os carboidratos que precisamos absorver rapidamente, e claro…é mais saudável que consumir as caixinhas de néctar, mesmo não sendo mais saudável que um suco de frutas frescos e espremido na hora. Mas para aqueles dias de correria, até que dá pra quebrar o galho, né?

A proposta da Sufresh é muito boa, pois a WOW Nutrition, que é a empresa que cuida da marca, quer cada vez mais ter essa relação transparente com o consumidor e eu acho isso válido demais, e não…isso não é um post pago, eu estou falando a minha opinião. Eu consumo muitos outros produtos da marca como Gold, Feel Good, e agora posso consumir esse suco sim, porque não?

Hoje vivemos tanto nessa onde de dietas-corta-tudo que esquecemos que carboidrato é importante sim (a quantidade de carbo na tabela, vem do açúcar da fruta), fruta é importante sim, água é importante sim, e um copo de suco desses que tem 80kcal (uva) e 113kcal (laranja), cabe muito bem num plano alimentar diário e saudável. Pois o lance é comer bem, e de tudo um pouco, pra não dar um colapso no nosso organismo, certo? :)

IMG_7600

IMG_7602

sufresh3

sufresh2

Detalhe para as embalagens que possuem a tecnologia geminia crystal, que deixa ela assim mais “gordinha”. E a pergunta que alguns fizeram no café da manhã é: Como algo que se diz 100% fruta pode durar tanto tempo? O segredo está no processo da embalagem e de como ela é embalada, feita pelo método de UHT (Ultra High Temperature – igual o do leite). A validade do suco de uva é de 12 meses e o de laranja 7 meses.

Preços: Uva: R$8,99. Laranja: R$7,99. A principio sendo vendido em lugares mais selecionados como Pão de Açúcar, St. Marche, Empórios e etc.

Gostaram da novidade? Vocês consumiriam? 

Beijos!

0 71

Oi pessoal, tudo bom?

Hoje venho trazer para vocês o episódio final do primeiro mês do Desafios da Vida Saudável! \o/

Nesse episódio completo, de 10 minutos, eu e o Vi contamos para vocês um pouco sobre o esporte, entrevistamos o Marino e contamos como foi a nossa experiência de ficar 30 dias jogando um esporte totalmente novo para nós! Ah, e no final do ep. vocês conferem qual será o próximo desafio!

Então bora assistir? Dá o play!!

Curtiram? Me contem nos comentários! :D

Para acompanhar os próximos episódios ou assistir os anteriores não esqueçam de se inscrever no canal clicando aqui. Estamos nos divertindo muito nas gravações da série, e está sendo uma experiência fantástica nos desafiarmos juntos em novas atividades, era o que eu, assim como ele, estávamos precisando. Espero de coração que isso motive vocês também a achar uma paixão, uma atividade que realmente lhes completem. Afinal, tamo junto! <3

Beeeeijo!!

 

1 118

Bom dia pessoal! Hoje trago para vocês uma receita de Bolo Funcional de maçã, banana e castanha do pará, super gostoso e simples de fazer! Passada pela minha nutri Raquel Labonia,  que também faz consultoria nutricional no Comer e Viver, que ao final do post vai dar umas dicas bacanas! :)

Ingredientes:

- 4 bananas
- 1 maça cortada em cubos
- 3 ovos caipiras
- 2 colheres (sopa) óleo de coco ou azeite
- 1 xícara (chá) água ou leite desnatado / baixo teor lactose
- 1 xícara (chá) farinha trigo
- 1 xícara (chá) farinha aveia
- 1 xícara (chá) castanha do Pará picada
- ½ xícara (chá) uva passa preta
- 1 colher (sopa) fermento em pó
- Especiarias à vontade (canela, cravo, cacau em pó, cardamomo – 1 pitadinha)

Modo de preparo:

Bata todos os ingredientes no liquidificador, exceto o fermento em pó, as castanhas e a maçã cortada em cubos. Adicione o leite, óleo, ovos, a banana e as farinhas e bata. Transfira a massa para uma tigela e acrescente a maçã, a castanha do Pará, a uva passa e por último o fermento. Misture bem e delicadamente. Leve ao forno pré aquecido (180ºC) e coloque o bolo, deixe até espetar um palito e sair seco.

Dica da nutri: Para acompanhar o bolo, pode servir com uma pequena porção de geléia 100% fruta que fica ótimo!. Curiosidades sobre a Castanha do Pará: rica em gorduras boas, é um alimento que deve ser incluído todos os dias na nossa alimentação! A porção de 1 a 2 castanhas/dia fornece uma boa quantidade de selênio, um mineral com uma função muito importante: retardar o processo de envelhecimento das nossas células, melhorando o funcionamento geral do nosso organismo. Tudo de bom, né?

Espero que tenham gostado! <3

 

2 162

Muitas pessoas que querem emagrecer procuram por dietas milagrosas. Uma que está na moda é aquela que exclui os alimentos com glúten do dia a dia. Muitos optam por consumir produtos sem glúten, mesmo não tendo intolerância, por acreditar que pode fazer melhor ao organismo e ajudar na perda de peso. Será? Pesquisas têm associado a eliminação de alimentos com esta substância com a diminuição de sintomas como dor de cabeça, estufamento e a possibilidade de processo inflamatório intestinal, por exemplo. Essa ação pode auxiliar ao tratamento de obesidade e, assim, o corpo fica menos suscetível ao ganho de quilos extras. Abaixo, um artigo escrito pela nutricionista Helouse Odebrecht com informações sobre a retirada do glúten do cardápio.

Glúten: consumir ou não consumir?

A alergia ao glúten caracteriza uma doença chamada de celíaca, que atinge cada vez mais parte da população mundial sem distinção de gênero ou idade. Neste caso, a retirada do glúten é obrigatória, já que o consumo para essas pessoas traz danos intestinais graves, reduzindo a absorção de nutrientes e, consequente, causando a desnutrição. Se não tratada, pode induzir sérios problemas e até o óbito.

 

O que vem chamando a atenção é a quantidade de pessoas, por meio da mídia e das redes sociais, taxando a dieta sem glúten como benéfica à saúde e aliada ao emagrecimento. A nutrição, assim como a medicina, evolui e o que hoje falamos como verdade, pode não ser o indicado no futuro. O caso do glúten é um exemplo: a retirada dessa substância não deve ser feita sem uma avaliação prévia para detecção de alergia ou hipersensibilidade à substância.

 

Quanto a obesidade ou sobrepeso, o glúten não é o principal responsável. Ele pode contribuir devido a seu aspecto inflamatório, porém a causa dessa doença deve ser investigada junto aos profissionais de saúde. Os relatos de emagrecimento devido a retirada do glúten, em geral, estão associados à redução do consumo de alimentos que podem ser mais calóricos ou de menos qualidade.

Por que consumir?

 

Relatos e estudos apontam alguns motivos para manter alimentos com a substância na dieta. Um deles é que quem retira o glúten da alimentação aumenta os riscos de ansiedade e depressão, por conta dos efeitos fisiológicos intestinais que ele traz ao organismo. Essa questão é agravada porque a retirada total de itens com glúten causa falta de saciedade, alteração hormonal e insônia.

 

Um estudo realizado com 10 homens por 30 dias avaliou que a dieta sem glúten apresentou uma queda das bactérias benéficas do intestino desses pacientes alertando que a sua exclusão poderia reduzir a quantidade desses microorganismos. Por fim, quem retira a substância da dieta sem orientação profissional, pode ocultar um diagnóstico posterior de doença celíaca ou hipersensibilidade.

 

Além disso, o preço de muitos dos produtos sem glúten não é  acessível a todos. Outro ponto que devemos avaliar na restrição por completo do glúten é que pode afetar a vida social, levando a uma exclusão do convívio com amigos e familiares.

 

Redução como alternativa

 

Quem sente um desconforto no consumo ou vê malefícios nos alimentos com glúten pode optar pela redução do consumo. Algumas pessoas fazem até mesmo um rodízio com as opções disponíveis, o que pode ser uma solução. No entanto, todo esse processo deve ser acompanhado de perto por uma nutricionista.

 

Curiosidades sobre o glúten

 

Algumas pessoas celíacas não podem ter contato (ingerir ou mesmo tocar) com nenhum alimento que contenha glúten, por isso é importante identificar nos rótulos se contém ou não a substância. Existem casos de pessoas que só de entrar em uma padaria já relatam mal estar e sintomas referentes à doença. É um assunto muito sério e deve ser tratado com cuidado.

 

Quadros de psoríase, dermatites, autismo e doenças autoimunes (como lúpus e vitiligo) têm melhorado com uma dieta restrita de glúten. Os estudos identificam que essas pessoas não toleram o glúten e o consumo pode causar sérios danos como a disbiose intestinal e hiperpermeabilidade.

 

Dica de nutricionista

 

Acredito que o consumo pode ser reduzido em relação ao que a população está habituada, já que o problema em grande parte pode estar na ingestão exagerada de certos alimentos. Entretanto, casos para retirada total devem ser analisados e ela pode, sim, ser benéfica se feita com acompanhamento. Vemos na prática clínica, pessoas que fazem dietas sem glúten sem acompanhamento e vivem consumindo alimentos como pães, bolos e biscoitos isentos da substância, por pensarem que são mais saudáveis. E o que encontramos são dietas com alimentos pobres em fibras, vitaminas e minerais extremamente importantes para a saúde, e ricas em carboidratos.

 

Espero ter ajudado pessoal! Eu particularmente consumo sim, pois não tenho nenhuma intolerância. E vocês? 

3 112

Oi pessoal, tudo bom?

Tá no ar o episódio da terceira semana no squash lá no canal do Desafios da Vida Saudável. Para quem chegou agora e não sabe do que tô falando, eu explico tudo nesse post.

Bom, a terceira semana de squash foi uma semana muito fria em SP, mas não desanimamos pois a quadra estava quente nos esperando. Já ficamos mais familiarizados com a bolinha e a vontade de jogar mais e mais foi tanta que tiveram dias em que saímos da quadra quase meia-noite, sem nem percebermos.

Sim, realmente esse esporte vicia muito e nessa semana tivemos a real sensação do quanto isso é verdade. Já nos tornamos “craques” nos saques, nas batidas de bola e no jogo em si, por isso convidamos até alguns amigos para suar conosco, e sentir como é essa alegria toda que sentimos com o squash.

Para continuar acompanhando os próximos episódios, se inscrevam no canal! E me contem o que estão achando, pois o feedback de vocês é muito importante! :D

Beijos!!

10 271

Oi pessoal, tudo bom?

Hoje vim falar sobre comprometimento.  Para muitos a palavra “compromisso” assusta. Seja num compromisso com alguém, ou com algo. A primeira coisa que se passa na cabeça é “Não quero me comprometer” e muitas vezes isso é automático do nosso subconsciente. Normal do ser humano. Porque as coisas soam muito mais fáceis quando são feitas despretensiosamente, certo? Não exatamente, e vou mostrar o porque.

Sabemos muito bem que a primeira reação ao pensar nessa palavrinha de compromisso é “não vou, não posso, não consigo”, maldita mente que prega peças e mais peças na gente. Mas se paramos para pensar, e realmente refletir sobre nossas atitudes, temos SIM que nos comprometer. Com tudo o que fazemos, com as pessoas que nos relacionamos, e o mais importante…com NÓS MESMOS! Afinal, se nós não fizermos algo por nós, e se não colocarmos na cabeça que ninguém vai lutar por nossos sonhos, se não nós mesmos, quem vai?

As pessoas bem-sucedidas que conhecemos, seja em qualquer objetivo ou estilo de vida, elas não nasceram assim, certo? Elas não desenvolveram uma pílula mágica que as deixaram com o corpo perfeito ou com o emprego dos sonhos, ou o relacionamento incrível com aquele principe encantado. Apesar de eu ser fãzona da Disney sem muito bem que as coisas não caem do céu, e o pó mágico na verdade está dentro nós, e sei mais ainda que é muito fácil julgar o outro, sem de fato saber o quanto aquela pessoa lutou por aquilo.

Então não podemos culpar o exterior ou os outros por nossa falta de comprometimento, pois só cabe a eu e a você mudar as coisas dentro da nossa cabeça. Eu mesma já paguei com a língua muitas vezes no que se diz questão a comprometimento, e não parece, mas eu ainda tenho uma “trava” que me impede de me entregar por completo em tudo o que faço. Melhorei muito de um ano para cá, mas ainda assim tenho vestígios disso, e só agora parece que estou realmente mudando isso.

Vou usar como exemplo o meu comprometimento com a corrida. Eu estava correndo por correr, participando de provas por participar, pelo lado “diversão” da coisa. E poxa, correr é muito divertido. É mesmo, mas quando foi a última vez que me desafiei de verdade? Não consegui lembrar. E isso me deixou para baixo. Eu não estava 100% comprometida com meus treinos e com a minha paixão por correr. E não é por mal, eu apenas entrei no modo automático e parei de refletir sobre o porque estava fazendo aquilo.

Foi aí que decidi mudar de assessoria, e encontrei a Vanessa, que tem a Run&Life lá no Ibira. O grupo é super alto astral, e ela realmente te tira da zona de conforto, que era exatamente o que eu estava precisando. A vontade de mudar tem que vir de nós, mas ter alguém pra acompanhar isso de perto te faz querer ir mais e mais além.

Sei também que preciso melhorar muito ainda o meu comprometimento com o meu corpo, pois eu emagreci mas não estou ainda como eu quero, tonificada, sem tudo caido, estou com um corpo “normal”. E poxa, se esse é meu objetivo agora, assim como foi emagrecer os 20 e poucos kgs, eu tenho que colocar todo o meu amor em cima disso, e me comprometer de verdade. Mas porque é tão dificil muitas vezes? Pois nosso pensamento nos sabota, e é aí que devemos acreditar mais em nós, em se olhar todos os dias no espelho e dizer “Você consegue”, nos elogiarmos sempre, acordar com vontade de fazer o dia ser bom, e mais um monte de outras coisas que ajudam a praticar na nossa cabeça aquela psicologia positiva. Pois no fim, está tudo na nossa mente.

E para falarmos de comprometimento colocado em prática, esse final de semana, a convite da Biofenac, participei da Track&Field Run Series etapa Cidade Jardim. A largada foi no shopping, que é um dos mais chiquetosos aqui em SP! O percurso foi muito bom pois passamos pela ponte estaida, na ida e na volta, e nunca tinha corrido por ali. Teve subida, muita subida! E me superei...consegui chegar em 29:23, sub30 e em 8º lugar na minha categoria. 

track-n-field

Numa prova que não tinha percurso reto, e parei para andar por 1 minuto. Me senti totalmente vitoriosa por isso, e é essa a sensação que sentimos quando nos comprometemos de verdade:  felicidade e sensação de dever cumprido! 

tracknfieldcidadejardim

Confiram mais fotos dessa prova lá na fanpage do blog! :)

E vocês? Estão comprometidos com seus objetivos de forma verdadeira, sem se enganar? Me contem!